fbpx
 

As Principais Métricas do Email Marketing

métricas do email marketing

As Principais Métricas do Email Marketing


Conheça as principais métricas para analisar os resultados e estratégias do seu email marketing!

Os anos passam e o email marketing continua como um dos protagonistas do marketing digital.

Hoje há uma infinidade de ferramentas que facilitam a aplicação e implementação de estratégias de email marketing, com diversos painéis e relatórios para analisar a performance e os resultados.

Para ajudar a interpretar os painéis e relatórios é importante entender as principais métricas utilizadas e o que elas querem dizer.

Pensando nisso, trouxemos neste artigo as principais métricas utilizadas no email marketing.


Crescimento da Base

O Crescimento de Base de Email (ou List Growth Rate) é a diferença entre o número de emails da sua base atual com a do período anterior.

Ela mostra se a sua base está crescendo ou diminuindo em relação à semana, mês ou ano anterior.

A partir desse dado é possível entender como está funcionando a aquisição de novos leads, bem como o descadastramento da sua base.

Uma taxa de crescimento negativa demonstra uma falta de investimento na atração de novos leads ou um alto índice de descadastramento da sua base de email marketing.

É importante sempre manter a taxa de crescimento positiva, garantindo volume para trabalhar campanhas de email marketing.

Um estudo da Mail Chimp mostrou que uma base perde entre 20% e 25% dos contatos ativos e válidos na base.

Para manter a taxa de crescimento alta você deve investir em meios de captar leads qualificados, com espaços que ofereçam vantagens como descontos, conteúdos de qualidade e notificações úteis.

Lembre-se de nunca cadastrar contatos que não passaram seus contatos voluntariamente, principalmente quando fornecidos por terceiros.

Taxa de opt-out e spam compliant (reportado como SPAM)

Dois índices que demonstram a insatisfação do público com os emails marketing: a taxa de opt-out (taxa de descadastramento) e spam compliant (reportado como SPAM).

A primeira refere-se ao número de pessoas que pediram para ser descadastradas da sua lista de emails.

Embora não pareça, isso pode ser muito bom, pois demonstra que a pessoa não gostaria mais de receber suas mensagens e geralmente há um pequeno formulário perguntando o porquê.

A partir dessas informações você pode aprimorar a sua estratégia de acordo com os feedbacks positivos.

Nunca dificulte o descadastramento da sua lista, pois ela pode reportá-lo como SPAM. Isso é a última coisa que você vai querer.

A spam compliant é o número de pessoas que reportaram seu email como SPAM.

Ser reportado como spam é a pior coisa que pode acontecer com a sua base. Se os reports chegarem a 0,1% da sua lista a entrega já começa a ser prejudicada seriamente.

Ambas as taxas demonstram insatisfação com os seus emails, seja pela falta de interesse no conteúdo ou excesso de envios.

É importante observar quais tipos de conteúdo têm maior taxa de descadastramento ou reports de SPAM, para melhorá-los ou evitá-los.

Taxa de bounce (Soft Bounce e Hard Bounce)

A taxa de bounce (Bounce Rate ou taxa de rejeição) mede a quantidade de emails que não chegam à caixa de entrada do usuário em relação ao número de emails enviados.

Isso pode acontecer por diversos motivos. Eles são divididos em dois tipos: o Soft Bounce e o Hard Bounce.

O Soft Bounce refere-se aos emails que não chegaram por problemas temporários, geralmente relacionados ao usuário.

Os motivos mais comuns de soft bounce é a caixa de entrada lotada e o sistema fora do ar.

Por não ser relacionado ao disparador, o soft bounce dificilmente gera punições.

O Hard Bounce, por outro lado, é mais grave: o usuário não pode receber emails permanentemente.

Isso ocorre quando o email já não existe mais ou foi digitado incorretamente.

Quando o índice de hard bounce atinge por volta de 10% do seu envio, você é punido, pois o sistema entende como um indicador que sua base é muito antiga ou comprada.

Para evitar o bounce monitore sua lista periodicamente, eliminando sempre os hard bounces e evitando listas muito antigas de email.

Taxa de abertura

A Taxa de Abertura é umas principais métricas do email marketing. Ela mede o número de emails abertos em relação ao de disparados.


Ela é uma métrica fundamental para entender se o público está tendo interesse nos seus emails.


Uma taxa de abertura baixa demonstra que o público está recebendo seus emails, mas por algum motivo, não os abre.


Nesses casos é importante corrigir elementos anteriores à abertura.


O primeiro é a própria base. Talvez você esteja enviando emails para pessoas que não têm interesse na sua marca ou não concordaram em receber suas mensagens.


O segundo é o tempo, você pode estar enviando emails em horários ou dias ruins. Para descobrir o melhor dia e horário, faça diversos testes A/B com o mesmo email dentro de bases semelhantes.


O terceiro é o assunto. Ele demonstra o conteúdo do email, se o seu assunto não chamar a atenção do público dificilmente a mensagem vai ser aberta.


Fique sempre atento à taxa de abertura, fazendo diversos testes de bases, dias, horários e assuntos.


De nada adianta um email incrível se ninguém abre.


CTR (Click Through Rate) e CTOR (Click to Open Rate)

O CTR (Click Through Rate ou taxa de cliques) é uma das principais métricas do email marketing. É calculado a partir do número de cliques dividido pelo número de mensagens disparadas.

Ele é muito importante para entender o resultado da estratégia e o interesse do público nos seus emails.

É interessante analisá-lo em conjunto com outra métrica, o CTOR (Click to Open Rate ou taxa de cliques por abertura).

O CTOR é a divisão entre o clique pela abertura, ou seja, quantas pessoas que abriram o email marketing clicaram no botão ou link dentro da mensagem.

A comparação entre as duas métricas traz análises interessantes, por exemplo: se o CTR está menor do que o CTOR significa que poucas pessoas estão abrindo o email, mas aquelas que abriram se engajaram.

A partir desse diagnóstico pode-se concluir que é preciso melhorar aspectos anteriores à abertura do email, como o assunto, o dia ou o horário de envio.

No caso do CTR estar maior do que o CTOR, significa que muitas pessoas estão abrindo os email marketing, porém poucas estão clicando.

Nesse caso é importante melhorar elementos de dentro do email marketing, como o layout, o texto, o call to action, o conteúdo, o produto ou a oferta.

Lembre-se de considerar os tipos de email, o público e o momento enviado antes de alterar os outros elementos.

Essa interação do usuário com o email marketing é o que chamamos de “engajamento”, ou seja, quantas vezes as pessoas interagiram com o seu email.

Taxa de conversão

Não é possível fazer uma campanha de marketing digital e não aplicar a métrica da taxa de conversão (Conversion Rate).

A taxa de conversão refere-se ao objetivo daquela campanha de email marketing, seja a venda, a visita às redes sociais, a assinatura de uma newsletter ou o cadastro em uma landing page.

Ao contrário das outras métricas, geralmente é necessário estar integrado a outra plataforma para acompanhá-la totalmente, como o Google Analytics.

É preciso saber outras métricas para uma análise completa da taxa de conversão da campanha de email marketing.

Ao perceber um bom índice de CTR e CTOR, porém uma baixa conversão, por exemplo, pode significar um problema no destino do email marketing, seja pelo público, usabilidade, preço, qualidade do conteúdo, entre outros.

A taxa de conversão é bem mais abrangente do que as ações de email, sendo necessário pensar em toda a estratégia de marketing digital para analisá-la adequadamente.

Gostou do artigo? Quer conhecer mais sobre marketing digital e como aumentar as vendas da sua empresa? Entre em contato conosco e fale com um de nossos especialistas!

No Comments
Post a Comment